Tradutor

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Vazio de mim

Suavemente lágrimas
molham meu rosto frio
Elas vem devagarinho
me arranhando a face
Vindas do vazio de mim
onde habitam dores
por eu ser sem ti
o nada que sou

2 comentários:

  1. Entendi muito bem este poema. Correram-me lágrimas!

    Beijos do ZÉ

    ResponderExcluir
  2. Olá Zé
    Que bom que se emocionou!
    Beijo
    Neusa

    ResponderExcluir