Tradutor

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Meu último poema

Antes do cortar dos pulsos
do sangrar no papel
do último suspiro
do coagular do sangue
da rigidez da carne...
Sem despedidas
lágrimas vermelhas
pintam meu último
poema!

2 comentários:

  1. Amiga, teu lirismo é como uma lâmina afiada, penetra em cada palavra, em cada verso. Gostei muito deste, parabéns.

    Beijos

    Runa

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo poeta, muito obrigada pelas palavras tão gentis.
    Beijos afetuosos
    Neusa

    ResponderExcluir