Tradutor

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

No escuro do meu quarto


Neste quarto negro e vazio
não há porta e nem janela
Um cobertor de fogo não aquece
meu corpo amorfo e rígido

Estou sozinha, tão sozinha...

Meus gritos ecoam nas paredes
e vem a mim como flechas
Um oceano não me mata a sede
minha boca tem sal e febre

Estou triste, tão triste...

A escuridão é minha luz
tudo em mim são trevas
o sol não ilumina meu olhar
estou cega, caindo em sombras

Estou perdida, tão perdida...

Procuro por uma saída
tateando os cacos do chão
molhados em lágrimas de sangue
desespero, amor e paixão!

Estou indo, indo para ti...

4 comentários:

  1. turva minha visão
    esse amor que transpira
    em palavras deixando-me
    totalmente embriagada!

    Amei é lindo teu poema.
    beijinho.
    Isa

    ResponderExcluir
  2. ede a Luz e ela aparecerá...
    Sabes que sim! E as trevas irão como chegaram!
    Adorei o poema, muito belo e sentido!

    Beijo do ZÉ

    ResponderExcluir
  3. Olá Isa, obrigada pela visita.
    Beijos
    Neusa

    ResponderExcluir