Tradutor

sábado, 22 de janeiro de 2011

A rosa perfumada II


Todos os dias eu estendo meu olhar
para além das belas montanhas
e sigo rumo a mais distante
Caminho descalça por entre as pedras
cheia de esperança vou colher flores
sigo desolada rumo ao sol nascente
E antes que ele seque o orvalho da manhã
minhas mãos sangram  entre os espinhos
procurando pela minha Rosa perfumada
Colhi tantas que nem sei
Mas a minha eu nunca encontrei
Aquela que espero levar-me nos braços
para perfumar a minha tão triste vida
Antes que eu não tenha mais força
para caminhar sozinha...



2 comentários:

  1. Palavras vestidas de emoção de um coração sofrido!
    Belo como sempre!

    Beijo do teu Amigo

    ResponderExcluir
  2. Olá Zé, obrigada pela visita, que muito me alegra.
    Beijos
    Neusa

    ResponderExcluir