Tradutor

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Quando escrevo?


                                                Escrevo quando tenho algo
                                                fervendo em minhas veias
                                                querendo borrar o papel

                                                Então eu fecho os olhos
                                                e deixo o sangue escorrer

                                                Amargo ou doce, não sei
                                                Eu quero que escorra
                                                quente e espumado

                                                Se adoçar ou não
                                                tanto faz...
                                                Eu quis e saiu de mim!

Um comentário:

  1. Este poema é um espelho de ti na Vida e na Poesia!

    Continua sempre!

    Beijo do ZÉ

    ResponderExcluir