Tradutor

quinta-feira, 24 de março de 2011

                                Beijar-te-ei como ondas revoltas
                                beijam a areia da praia entre soluços
                                desnudando os mistérios do teu areal
                                E ao romper do último raio morno de sol
                                suavemente pousar-me-ei em teu peito
                                na tarde branda que me quero eternidade

                                Que o mar tão pequeno se recue
                                terei sede de águas doces e maiores
                                Beberei águas tuas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário