Tradutor

quinta-feira, 23 de junho de 2011

O sangue dos meus poemas

Adormeço meus sonhos
em altas montanhas
Naquelas que os mares
mantêm sobre suas águas

Lá eu me sinto tão grande
do tamanho de um grão de areia

E quando de meus olhos brota o sal
que tempera o mar
De minhas veias nasce
o sangue dos meus poemas

2 comentários:

  1. Lindo poema poetisa!!!Poema profundo. Expressa uma sinceridade inigualavel!
    Vai além do que o mais puro coração poderia expressar!!!

    Saudades!!!

    Att
    Rafael

    ResponderExcluir