Tradutor

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Uma lâmina que escreve

Escrevo com a mão direita
Com a outra aperto forte
uma lâmina contra o peito
Quanto mais ela penetra
minha carne morta
Mais eu me torno pequena
na disformidade dos meus versos

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Poema maior



Queria escrever-te um poema enorme
que o abrigasse entre suas asas
E em silêncio o trouxesse
Desisti sem tentar
Sei que poema maior
arde nos teus olhos
quando fascinados
os meus beijam os teus

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Meu Solzinho

Dissequei meu corpo amorfo
esquecido num canto qualquer
Onde repousa pó
e alguns vermes famintos

Num pulsar de dentro do chão
Ouví tuas palavras frias
Chorando mares que invento
no fundo dos olhos meus

Sei sem querer saber
que nesta terra amaldiçoada por ti
jamais nascerá um Sol tão azul
como aquele que ví em teus olhos
quando sorrias para mim