Tradutor

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mel de açucena

Deixei pegadas na areia
Depois das tuas,
Aquelas que encontrei
quando meu coração
por ti desatou-se

Em pântanos e abismos
colhi mel de açucenas
para banhar teu corpo
O altar que espero

Agora venha desatar
o último nó
E se embriague
do sabor acetinado
da açucena que te guardei...








quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Cegos de alma / Homenagem

Passos pequenos
num mundo agonizante
Lágrimas de sal
molham veias secas

Tantos campos floridos
E Auschwitz sem flores
Descansa em paz
nobre injustiça!

Silêncio lacrimal
traga-nos Hiroshima
em laços brancos
Mesmo que neste
ainda desigual

Corram todos
deixem os passos lentos
Antes que nos roubem
até o chão!

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Luso Poemas Net



Mais poesias?
Visitem o site Luso Poemas Net, onde se encontra uma vasta equipe de autores, na qual colaboro.

sábado, 13 de agosto de 2011

Meu último poema

Antes do cortar dos pulsos
do sangrar no papel
do último suspiro
do coagular do sangue
da rigidez da carne...
Sem despedidas
lágrimas vermelhas
pintam meu último
poema!